post4-banner

 

10 anos atrás, decidi que seria professor de novos negócios e empreendedorismo. Eu era analista de estratégia na Telefónica e pedi demissão para empreender. Queria saber o que meus alunos experimentariam. Montei um negócio que chegou a 70 pontos de vendas em 6 meses.

Na mesma época, criei a competição de negócios do Insper. Queria ter acesso aos diversos modelos mentais de empreendedores, conhecer como pensavam e agiam. Hoje na 10ª edição, a competição Empreenda é uma das mais antigas do País.

A pergunta que fiz, lá atrás, foi: como aprender a ensinar negócios?

Acompanhando o trabalho de educadores e profissionais que tinham estudado e trabalhado no exterior, uma coisa ficou clara. Precisaria passar por uma experiência em outro País. Daí até concluir o mestrado em Ensino de Negócios na New York University passaram-se alguns anos.

De 2006 a 2016 eu participei de três negócios próprios, trabalhei nas multinacionais Telefônica, Santander e Directv, além de ter participado ativamente do desenvolvimento do Centro de Empreendedorismo do Insper. Ao longo dessa trajetória, interagi com empreendedores e canditados a empreendedores dos 8 aos 80 anos. Eles eram pessoas que queriam criar um novo negócio do zero ou em uma empresa estabelecida.

Toda essa experiência me levou a ser um educador com uma visão privilegiada. Ao invés de apenas um público, pude acompanhar diferentes estilos de pensar e agir.

 

chamadaqemp

 

Metolodologia com as melhores práticas

Após retornar do exterior, comecei a colocar em prática toda a pesquisa que desenvolvi: como facilitar a aprendizagem de negócios, melhores práticas de ensino de adultos, progressão de alunos, etc.. Isso nos levou ao desenvolvimento da metodologia QEMP, destaque na Rede Globo e Globo News, Folha de São Paulo, Portal Draft, StartSe, entre diversos outros canais, revistas e sites.

O objetivo da metodologia é apoiar o desenvolvimento de novos negócios e também a carreira daqueles que buscam o crescimento de empresas. Isso pode acontecer tanto em empresas nascentes quanto estabelecidas.

Para conseguir implementar a metodologia em escala nacional (ela já foi utilizada por mais de 7.000 pessoas) criamos um programa de capacitação para educadores, professores, mentores, coaches, consultores, psicólogos e profissionais.

A ideia por trás da certificação é apoiar a estruturação de um campo acadêmico “soft.” Hoje em dia, ninguém tem dúvidas sobre como ensinar engenharia e matemática (campos “hard”). Por outro lado, campos acadêmicos novos (como o empreendedorismo) ainda estão em formação.

 

Abraços,

assinatura-thiago